Cura

Anúncios

Livrai-nos dos invejosos, amém!

 

 

As pessoas admiram suas qualidades em silêncio e julgam seus defeitos em voz alta. 

Parece só mais uma frase de efeito, mas, no fundo, essa frase demonstra uma correspondência assustadora com a realidade.

A sociedade, totalmente insuportável não podemos negar, simplesmente se delicia apontando os defeitos alheios, como se todo mundo fosse perfeito e ótimos exemplos a serem seguidos.

Quando a pessoa quer botar um defeito – ou vários -, ela coloca e ainda aumenta! Se intromete, tenta deixar do jeito que acha que tem que ser. Mas não é bem por aí, pois o mundo não gira em torno do seu umbigo.

Porra! Foda-se! Tô nem aí para vocês, bando de invejosos!

Ninguém, nem mesmo você – chato – é perfeito e tem a obrigação de mudar para agradar alguém.

Nos achamos experts em observar e apontar os erros de nossos semelhantes, mas não conseguimos aceitar e ficamos furiosos quando nossas falhas são apontadas. É um comportamento humano típico! Essa crueldade com que as pessoas costumam julgar umas às outras é o que me faz achar metade do mundo uma droga.

Sempre que presencio alguém recriminando outra pessoa por um determinado defeito, ou reparando demais em determinada característica, vejo que o ponto que incomoda tanto no outro é aquilo que falta ou sobra dentro dela. Se falta, é inveja por não ter; se sobra, é inveja por não saber lidar com aquilo tão bem quanto o outro. A questão não é ser de tal jeito, e sim se sentir bem sendo de tal jeito!

 

 

Toda forma de amor vale a pena

Para mim, é impensável vivermos em plenos anos dois mil e ainda presenciarmos toneladas de preconceito em cima de quem escolheu amar alguém do mesmo sexo. Amor é amor!

Esqueça a religião, Adão e Eva, paradigmas sociais. A natureza está aí para provar que o amor entre pessoas do mesmo sexo existe desde que o mundo é mundo. Desde as eras mais primitivas. A bem da verdade, é sempre difícil lutar contra a natureza. É difícil silenciar o amor. Difícil julgar quem tem um coração recheado de bons sentimentos e mesmo assim tem que se esconder por receio do que a nossa sociedade hipócrita possa achar.

Há muito tempo as coisas tem melhorado, mas isso não torna a situação mais fácil para quem teve uma educação mais rígida dentro de casa e aprendeu a não aceitar “certas coisas”.

Na minha opinião, o amor devia estar acima de qualquer coisa. Escolher amar alguém do mesmo sexo não é problema, não é doença e nem desvio de caráter. Pelo contrário. Para mim é tão natural que fica até difícil explicar.

Na verdade, o que mais me incomoda é o preconceito camuflado, pois esse é o pior tipo de preconceito. Fico triste que existe muita gente que se ama, se cuida e se respeita, mas nossa sociedade os leva a acreditar que estão errados. Isso é mesmo errado?? Desde quando amar é errado?? Todos podem e devem amar quem quiser, pois é o amor que dá sentido à vida. E quem se acha no direito de tirar o sentido da vida de alguém por puro preconceito? Isso não nos leva a lugar nenhum…ou melhor, leva à amargura e à discórdia. Fuja disto!

Os tempos mudaram. Sim, mudaram. Não está mudando, já mudou…A fila tem que andar certo?? Desperte para a nova realidade!

Vamos nos focar em coisas mais relevantes, deixando as pessoas que se amam curtirem a vida da maneira que lhes convém? Afinal, são senhores dos seus instintos, desejos e preferências sexuais

Vamos parar com essa perseguição e manter nossas convicções, mas com o sensor de respeito sempre alerta, anunciando que devemos ter limites com nossos semelhantes e que ninguém é obrigado a ser ou não ser o que o outro idealiza. Respeito às diferenças e preferências alheias…sempre!

As pessoas são livres! Vamos amar, respeitar e exigir respeito de cada ser, independente dos padrões que achamos ser o mais adequado, segundo nosso refinado paladar. Sejamos nós mesmos e amemos sem medo de ser feliz, afinal, qualquer maneira de amar vale a pena.