Toda forma de amor vale a pena

Para mim, é impensável vivermos em plenos anos dois mil e ainda presenciarmos toneladas de preconceito em cima de quem escolheu amar alguém do mesmo sexo. Amor é amor!

Esqueça a religião, Adão e Eva, paradigmas sociais. A natureza está aí para provar que o amor entre pessoas do mesmo sexo existe desde que o mundo é mundo. Desde as eras mais primitivas. A bem da verdade, é sempre difícil lutar contra a natureza. É difícil silenciar o amor. Difícil julgar quem tem um coração recheado de bons sentimentos e mesmo assim tem que se esconder por receio do que a nossa sociedade hipócrita possa achar.

Há muito tempo as coisas tem melhorado, mas isso não torna a situação mais fácil para quem teve uma educação mais rígida dentro de casa e aprendeu a não aceitar “certas coisas”.

Na minha opinião, o amor devia estar acima de qualquer coisa. Escolher amar alguém do mesmo sexo não é problema, não é doença e nem desvio de caráter. Pelo contrário. Para mim é tão natural que fica até difícil explicar.

Na verdade, o que mais me incomoda é o preconceito camuflado, pois esse é o pior tipo de preconceito. Fico triste que existe muita gente que se ama, se cuida e se respeita, mas nossa sociedade os leva a acreditar que estão errados. Isso é mesmo errado?? Desde quando amar é errado?? Todos podem e devem amar quem quiser, pois é o amor que dá sentido à vida. E quem se acha no direito de tirar o sentido da vida de alguém por puro preconceito? Isso não nos leva a lugar nenhum…ou melhor, leva à amargura e à discórdia. Fuja disto!

Os tempos mudaram. Sim, mudaram. Não está mudando, já mudou…A fila tem que andar certo?? Desperte para a nova realidade!

Vamos nos focar em coisas mais relevantes, deixando as pessoas que se amam curtirem a vida da maneira que lhes convém? Afinal, são senhores dos seus instintos, desejos e preferências sexuais

Vamos parar com essa perseguição e manter nossas convicções, mas com o sensor de respeito sempre alerta, anunciando que devemos ter limites com nossos semelhantes e que ninguém é obrigado a ser ou não ser o que o outro idealiza. Respeito às diferenças e preferências alheias…sempre!

As pessoas são livres! Vamos amar, respeitar e exigir respeito de cada ser, independente dos padrões que achamos ser o mais adequado, segundo nosso refinado paladar. Sejamos nós mesmos e amemos sem medo de ser feliz, afinal, qualquer maneira de amar vale a pena.

 

Um brinde às diferenças!

 

Definitivamente: está se tornando cada vez mais complicado se relacionar com os outros, com o diferente e as diferenças. Desde o nascimento, nós, seres humanos, começamos a criar laços, a conhecer, a lidar com o mundo ao redor e com pessoas que nem sempre são parecidas com a gente.

O tempo todo nos deparamos com a diversidade, com aquilo que na maioria das vezes não casa com o que pensamos, queremos ou aprendemos a pensar. Nem sempre as diferenças são negativas; muito pelo contrário: as diferenças, em sua grande parte, somam, nos ensinam, nos fazem refletir. No entanto, elas vão de encontro com tudo aquilo que internalizamos e que demoramos anos para tal, des(constróem) pilares de conceitos e opiniões e nos angustiam, porque estando frente a elas, nos deparamos com nossas próprias limitações.

No nosso contexto, ser único é constantemente nadar contra a maré. Somos ditados pela voz da maioria, seguimos a boiada e os que se percebem diferentes são vistos como estranhos, anormais. Mas, afinal, quem pode se afirmar normal nesse mundo louco em que vivemos?

Percebi que a beleza do ser humano está justamente na diversidade de maneiras de ser, agir e pensar. Percebi o quanto podemos ser diferentes e mesmo assim viver. Basta respeitar!

Um brinde às diferenças, às diversidades, ao desconhecido. Porque bonito é quem sabe conviver com a variedade, com as distinções de forma pacífica e respeitosa.