À deriva

post_a-deriva

Você acreditava em um sonho…e isso te fazia sorrir. Então você decidiu correr até ele e transformá-lo em um plano, um guia. Todo o caminho estava traçado ali, não havia mais o medo de se perder, bastava segui-lo. Em seu barco vão a fé, força de vontade, coragem, atitude e a esperança. A viagem é para os fortes e a maior apoio que irá conseguir, certamente virá da sua própria tripulação!

Todos a bordo!

E o tempo passa… passa…passa…voa. As folhas arrancadas dos calendários dariam voltas e mais voltas na Terra. Alguns desses dias foram de sol, porém as tempestades eram frequentes e te chacoalharam violentamente, te deixaram com marcas e cansado. Arrastaram seu barco pra mares que você não reconhece no seu mapa. Você está perdido, à deriva…e não consegue perceber ou aceitar… Um pobre barquinho, distante de qualquer porto que lhe ofereça acolhida. A quem pergunta, você sequer sabe responder como ou quando foi que isso aconteceu. “Onde eu errei??”

Contudo, como bem sabem os aventureiros, perder-se é necessário antes de se encontrar.

A esperança, única companheira que sobrou à bordo, te faz lembrar o porquê de você mesmo, o próprio capitão da embarcação, ter se lançado ao mar. E esse é o impulso mais forte que suas velas experimentaram, talvez mais forte que o primeiro. E é isso que este barco precisava para voltar a navegar.barquinho

Anúncios